Mais produtividade com benefícios empresariais: como unir esses fatores?

Tempo de leitura: 7 minutos

Aumentar a produtividade trilhando caminhos voltados ao bem-estar dos colaboradores é uma das grandes tendências na gestão de pessoas. Para isso, é preciso analisar quais são os benefícios empresariais que mais se encaixam ao perfil da equipe.

Em meio a tantas formas de incentivo, o salário passa a ser apenas um dos pilares que sustentam a satisfação dos funcionários. A atração e a retenção são possíveis quando três elementos trabalham juntos: remuneração, ambiente de trabalho e benefícios.

Inclusive, a presidente da ABRH-Brasil (Associação Brasileira de Recursos Humanos), Elaine Saad, diz em entrevista que as pessoas se empenham mais por dinheiro e que os gestores precisam lidar melhor com o pagamento de benefícios para diferenciar a empresa.

Os motivos para produzir mais e melhor

A nova geração de jovens ativos no mercado de trabalho tem um perfil bastante diferente do que foi visto nas últimas décadas. Hoje, as pessoas querem trabalhar em um local com o qual se identificam e sentem prazer em contribuir.

Apesar de ser algo extremamente pessoal, a satisfação envolve uma série de fatores que podem ser atendidos pela empresa. Para ampliar a produtividade com benefícios empresariais, é preciso abranger os seguintes aspectos:

  • Físico (plano de saúde, vale-alimentação ou refeição);
  • Psicológico (flexibilidade de horário, técnicas de relaxamento),
  • Desenvolvimento (incentivo ao estudo e plano de carreira).

Com essas frentes totalmente atendidas, o funcionário terá condições de transformar seus interesses pessoais em objetivos coletivos e vice-versa. Esse é o resultado de algo genuíno: a confiança mútua. Por isso, lembre-se que além de oferecer benefícios, a empresa deve também proporcionar uma boa experiência de trabalho.

O que levar em consideração?

Na maioria das empresas, o setor de RH é o responsável por avaliar quais incentivos serão oferecidos e desenvolver um plano de benefícios. O departamento pode analisar, por exemplo, a faixa etária, estado civil, grau de escolaridade, distância do trabalho, número de filhos e outros detalhes sobre os colaboradores e seus hábitos.

Além disso, uma pesquisa interna também pode colaborar bastante. Pergunte aos funcionários o que os tornariam mais produtivos no trabalho. Assim, será possível indicar à diretoria quais incentivos fazem sentido para ter uma equipe mais engajada.

O poder da personalização de benefícios

Toda essa análise e estudo já demonstra a preocupação da empresa com o bem-estar das pessoas que fazem o negócio funcionar. Mas é sempre possível ir além e pensar em novidades para fidelizar ainda mais os funcionários.

O sistema de recompensas ainda engatinha no Brasil, mas já é utilizado por algumas grandes organizações. Nesse modelo, a gestão de pessoas é baseada na meritocracia para premiar a produtividade com benefícios empresariais individuais.

Além da obrigação

A legislação trabalhista brasileira determina a concessão de alguns benefícios, como vale-transporte, férias, décimo terceiro salário e FGTS. Além disso, a convenção coletiva de cada categoria determina alguns benefícios que devem ser concedidos aos trabalhadores.

O documento pode apontar, por exemplo, a obrigatoriedade de fornecer o vale-refeição ou alimentação. Nesse caso, os valores e possíveis descontos em folha de pagamento já vêm descritos e pré-determinados.

Mas é preciso ir além dessas obrigações. Afinal, se a sua empresa deseja ter um retorno mais produtivo dos funcionários, reter as melhores pessoas e diminuir a taxa de turnover, ela deve se diferenciar das concorrentes através dos benefícios.

Expectativas superadas

Nada dá mais satisfação do que ter as expectativas superadas, não é mesmo? Por isso, surpreenda seus colaboradores com incentivos inesperados e demonstre a vontade da empresa em ajudá-los a ter mais qualidade de vida e bem-estar no trabalho.

Quebrar paradigmas e oferecer mais flexibilidade são atitudes que podem render ótimos resultados. Pense na possibilidade de tornar o ambiente de trabalho menos formal, abrir oportunidades internas para home office e até mesmo ser maleável com os horários.

Pense também no princípio de equidade, pois, como dissemos antes, cada categoria tem benefícios determinados pela convenção coletiva. Então, avalie se todos recebem os mesmos incentivos para não ter o efeito contrário e desestimular a produtividade.

Por falar nisso, outro erro que desestimula os colaboradores é a falta de transparência em relação aos benefícios oferecidos. Para resolver isso, passe a comunicar melhor quais são as políticas de remuneração e de incentivo na empresa.

Os melhores benefícios empresariais

Os benefícios empresariais mais comuns nas empresas brasileiras são os planos de saúde e odontológico, o vale-alimentação ou refeição e a ajuda de custo com a creche. Porém, existe uma grande variedade de incentivos disponíveis, que podem aumentar o interesse pelas vagas disponibilizadas e o índice de confiança na empresa.

A seguir, listamos alguns incentivos que fazem mais sucesso entre os colaboradores, segundo a Great Place to Work Brasil (que elege as melhores empresas para trabalhar):

  • Licença-maternidade estendida: lembra quando falamos de ir além da obrigação? Esse é um ótimo exemplo. Pela CLT, as mulheres têm direito a apenas quatro meses de licença. Mas é fácil compreender porque esse prazo não agrada às mães, que querem permanecer mais tempo com seus pequenos.
  • Bolsas de estudo (graduação, pós, idioma): esse é um incentivo claramente de mão dupla. Ao investir na formação e desenvolvimento do colaborador, o conhecimento adquirido vai ser aplicado nas ações diárias do trabalho – ampliando a produtividade.
  • Horário flexível e home office: essa é uma tendência mundial no mercado de trabalho. Baseadas 100% na confiança mútua entre empregador e empregado, as atividades home office e com horário flexível melhoram a qualidade de vida dos colaboradores. Imagina a situação daquela pessoa que mora longe e precisa se locomover por horas até chegar à empresa?  
  • Sextas-feiras curtas: depois de uma semana inteira de trabalho intenso, nada é mais recompensador que sair mais cedo. Eliminar algumas horas do último dia útil é dar um tchau amigável ao funcionário e desejar que ele tenha um ótimo final de semana!
  • Academia, ioga, massagem: um dos aspectos para ampliar a produtividade com benefícios empresariais é o psicológico. Uma sessão de ioga ou massagem, por exemplo, tem o poder de eliminar o estresse e tornar o dia mais leve.
  • Vale várias coisas (transporte, farmácia, academia, óculos, cultura etc): os vales são os benefícios mais famosos nas empresas. Desde alimentação até a cultura, são várias opções que podem ser oferecidas aos funcionários.
  • Day-off (folga no aniversário): todo mundo gosta daquela festa de aniversário na firma, mas melhor ainda é ganhar uma folga nesse dia especial! Essa é uma forma de agradecer seu colaborador por um ano inteiro de trabalho e dar tempo livre para que ele possa aproveitar ao máximo a data.

De acordo com a organização, o nível de confiança, medido através da satisfação dos funcionários, diz muito sobre como a empresa consegue extrair o melhor das pessoas. Isso significa ter mais produtividade com benefícios empresariais que agradam e não com aqueles que são mais econômicos para o negócio.

Além da pesquisa que é feita pelo RH para identificar os melhores incentivos, é fundamental escolher os parceiros que farão parte desse plano de benefícios. Agora que você já sabe como ter mais produtividade com benefícios empresariais, que tal conhecer todas as soluções empresariais oferecidas pela FACISC? Entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *