Inadimplência nas empresas: como evitar e minimizar prejuízos para o seu negócio

Tempo de leitura: 5 minutos

Um problema que causa dor de cabeça em qualquer gestor é a inadimplência nas empresas. Cedo ou tarde, surgem aqueles clientes que atrasam o pagamento, deixam acumular algumas parcelas ou que simplesmente somem do mapa.

De acordo com as pequisas do Boa Vista SCPC, só em 2016 a inadimplência das empresas brasileiras subiu 3,3%. Já em janeiro de 2017, o percentual de cheques devolvidos por falta de fundos atingiu 2,07%. São mais de 100 bilhões de reais em dívidas espalhadas pelos quatro cantos do país, sendo que as principais devedoras são as empresas prestadoras de serviço e as do comércio.

Tendo em vista esse cenário, é preciso encarar que a inadimplência é uma realidade. Esperar que todos os pagamentos sejam efetuados em dia é uma grande ilusão que resultará em impactos ainda mais negativos para a organização. O melhor a ser feito é se preparar para lidar com a situação da melhor forma possível.

Veremos neste artigo como você pode evitar e minimizar os prejuízos da inadimplência em sua empresa!

Práticas para evitar a inadimplência nas empresas

Apesar da inadimplência ser uma realidade para as empresas, existem uma série de práticas que podem ser adotadas para diminuir a incidência da mesma. Vamos ver quais são elas!

Estude seus clientes

O mínimo que você pode fazer antes de realizar uma venda a prazo para um novo cliente é realizar uma pesquisa básica sobre ele. Qual é a sua situação nos serviços de análise de crédito? Existe um histórico de reclamações de outras empresas? A empresa possui tradição ou é nova no mercado?

Tudo isso pode ser levado em conta na decisão de efetuar a venda e do valor de crédito concedido. Além disso, você pode ir ainda mais a fundo e analisar as condições do seu cliente no mercado e o seu desempenho financeiro dos últimos períodos – tudo para saber se ele terá condições de pagá-lo em dia.

Mantenha um histórico de vendas

Se você possuir um histórico de todas as vendas realizadas pela sua empresa ao longo dos anos, ficará fácil identificar os perfis de clientes problemáticos antes mesmo de realizar a venda. Talvez você não lembre daquele que nunca efetuou o pagamento 6 anos atrás, mas os seus registros lembrarão.

Com base no histórico de cada cliente, você saberá em quais pode confiar e conceder um valor maior de crédito, quais você deve ficar de olhos abertos e também quais deles você deve evitar por oferecem um grande risco de inadimplência.

Implemente um bom sistema de cobrança

Muitos gestores possuem a ideia de que os clientes inadimplentes agem sempre de má fé, mas a verdade é que esses casos são a grande minoria. Perder o prazo inicial de pagamento e deixar acumular uma bola de neve de juros e multas é o grande vilão da inadimplência.

Um sistema de cobrança eficiente pode diminuir o índice de inadimplência na sua empresa. Basta lembrar o cliente de efetuar os pagamentos no prazo e facilitar o processo. É bom para o cliente e também é bom para a sua empresa.

Nunca esqueça de emitir Nota Fiscal

A Nota Fiscal da venda realizada é o seu comprovante da operação. Os produtos ou serviços vendidos e os seus valores constam neste documento. Além de sua emissão ser obrigatória, sem a Nota Fiscal será muito difícil reaver os valores da venda quando o cliente se recusar a pagar.

O cliente não pagou, e agora?

Você tomou todos os cuidados para evitar clientes inadimplentes e mesmo assim alguns deles não efetuaram os seus pagamentos. Como você deve proceder nesses casos?

É hora de realizar cobranças e ficar em cima dos clientes devedores até que seja realizado o pagamento. Para que essas ações tenham êxito, você pode seguir as dicas a seguir:

Seja amigável

Lembre-se que o seu objetivo deve ser receber o dinheiro referente à venda efetuada, mas sem perder o cliente. Por isso, adote sempre uma postura amigável ao realizar as cobranças. Tente entender o lado do cliente e faça de tudo para que ambas as partes saiam satisfeitas.

Ofereça facilidade de renegociação

As parcelas em atraso geram juros e multas que vão aumentando cada dia mais e deixam o cliente mais distante do pagamento. Não se deixe levar pelos valores adicionais que você poderia ganhar por conta dos atrasos e busque uma solução que incentive o pagamento o quanto antes.

Facilite a renegociação da dívida para um valor justo e pague em um futuro muito próximo. Mais vale R$100,00 na mão do que R$120,00 que nunca entrarão no seu caixa, não é?

Tenha pessoas treinadas para a cobrança

Os funcionários que farão o contato com os clientes inadimplentes devem ser treinados para tal atividade – sem pressionar demais, mas sem dar margens para que o cliente deixe de pagar.

Adote a cobrança automatizada

A adoção de avisos e possibilidade de pagamento através da internet ou terminais de autoatendimento também podem acelerar o recebimento de uma parcela. Muitas vezes o que impede o pagamento é o tempo que todo o processo pode tomar. Nesses casos, a praticidade pode ser um diferencial para diminuir a inadimplência nas empresas.

Rapidez na cobrança

Imagine que você esqueceu de realizar um pagamento e é informado apenas duas semanas depois, quando os juros já aumentaram violentamente o valor da dívida. Fica complicado acertar o valor, não é?

Seja rápido na cobrança logo que o prazo é esgotado. Informar o cliente do atraso no pagamento no dia seguinte pode fazer com que ele vá atrás para quitar a dívida antes que o valor eleve ainda mais. Além disso, se o cliente possuir dívidas com várias empresas diferentes, ele pagará primeiro aquelas que cobrarem antes.

 

E você, como lida com a inadimplência na sua empresa? Gostou das práticas e dicas apresentadas? Deixe o seu comentário!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *