Motivação nas organizações: 10 técnicas simples e efetivas

Tempo de leitura: 9 minutos

Em se tratando do mundo corporativo, por melhores que sejam o planejamento estratégico, a infraestrutura e a qualidade dos processos de produção de uma organização, se os colaboradores não estiverem motivados para contribuir eficientemente para o sucesso da organização, dificilmente serão alcançados bons resultados.

É por esse motivo que as empresas buscam constantemente elevar o nível de motivação de seus funcionários. Porém, por tratar-se de um elemento abstrato e de difícil avaliação, muitos gestores acabam perdidos em meio a técnicas efetivas de estímulo.

cta-blog2

Ao longo da história, já vimos empresas apostando nos mais diversos fatores que buscam a motivação: coerção e controle; incentivos financeiros; relacionamento; influência e poder; nível de satisfação; aspectos inerentes à atividade. Mas, será que existe um fator decisivo frente aos demais?

O grande objetivo de compreender como funciona o processo de motivação nas organizações é o de evitar custos desnecessários e, ao mesmo tempo, assegurar a competitividade da empresa e a lucratividade do negócio.

Por essa razão, veremos ao longo deste artigo o que é a motivação, como ela beneficia a sua empresa e funcionários e como você pode promovê-la!

O que é motivação?

Motivação é uma daquelas palavras que são difíceis de conceituar. Cada pessoa possui as suas próprias motivações, que podem manifestar-se de formas muito diferentes uma das outras. De acordo com os teóricos da área, motivação é o termo utilizado para “descrever as forças externas ou internas que atuam sobre as pessoas e que desencadeiam e dirigem a sua conduta”.

Ou seja, a motivação é aquilo que faz com que uma pessoa opte não só entre agir ou não em determinada situação, mas também define qual será a ação tomada. Dentro de um ambiente corporativo, há grande influência sobre a forma como as atividades referentes ao trabalho são realizadas.

A motivação pode ser dividida entre fatores extrínsecos e intrínsecos:

  • Extrínsecos: são todos os fatores externos que podem ser entregues para motivar alguém. São exemplos disso o salário, bonificações, premiações e todos os outros fatores que são palpáveis.
  • Intrínsecos: são os fatores internos, que vêm de dentro de cada pessoa. São exemplos de fatores intrínsecos a autorrealização, o desejo de aprendizado, o reconhecimento, entre vários outros.

Na prática, essa divisão de fatores ilustra uma grande verdade: as empresas nem sempre podem motivar os seus funcionários de forma direta. O que pode ser feito é dar condições propícias para que o colaborador sinta-se motivado.

Isso quer dizer que não basta aumentar o salário de um empregado para que ele fique motivado. É preciso criar um ambiente em que ele sinta-se confortável e tenha condições de evoluir tanto como profissional quanto como pessoa.

A história e as teorias da motivação

Antes de entrarmos nos benefícios de funcionários motivados e atitudes que promovem a motivação, vamos abordar rapidamente a história e a evolução das teorias sobre o tema. Essa visão será bastante importante para compreender como funciona todo o processo de estímulo no ambiente organizacional.

Voltemos ao início do século XVIII, quando teve início a Revolução Industrial. Até esse ponto, as empresas apostavam em ameaças de punição – física, financeira ou social – para motivar os seus funcionários a trabalharem de acordo com suas expectativas.

Com a necessidade de produção em larga escala que a Revolução Industrial promoveu, foi necessário melhorar os procedimentos de produção e encontrar novas formas de aumentar a produtividade. A solução encontrada foi recompensar os trabalhadores com dinheiro.

A ideia de que um funcionário pode render mais em seu trabalho apenas com motivações externas – como aumento no salário ou recompensas de prêmio por produtividade – foi bastante utilizada durante muitos anos. Mas será que essa é, realmente, a melhor solução?

Você deve estar certo de que a resposta para essa pergunta é “não”. E foi exatamente isso que vários teóricos tentaram ilustrar ao longo do século XX. Veja só quais são as principais teorias motivacionais:

  • Hierarquia das necessidades, de Maslow: diz que a motivação é originada das necessidades, que estão hierarquizadas em forma de pirâmide. As necessidades de nível mais baixo devem ser satisfeitas antes das necessidades de nível mais alto.

piramide-de-maslow

  • Teoria X e Y, de McGregor: divide os indivíduos em dois grandes grupos. A Teoria X diz que as pessoas não gostam de trabalhar e precisam ser forçadas para atingir um resultado. A Teoria Y diz que as pessoas gostam de trabalhar e são capazes de se autogerenciar.
  • Teoria dos dois fatores, de Herzberg: cria a divisão de fatores motivadores e fatores higiênicos. Os fatores motivadores são intrínsecos e criam motivação (crescimento pessoal, realização, reconhecimento, etc). Já os fatores higiênicos não geram motivação, mas a sua ausência provoca insatisfação (salários, condições de trabalho, segurança, etc).

Mesmo com algumas divergências entre as teorias, todas elas concordam no ponto de que os fatores utilizados no período logo após a Revolução Industrial estão equivocados. Cada pessoa fica motivada com fatores diferentes e em intensidades diversas, mas, definitivamente, não é somente o fator financeiro que pesa.

Quais os benefícios de possuir colaboradores motivados?

Visualizar os efeitos positivos da motivação nas organizações não é muito difícil, afinal, você mesmo já vivenciou essa experiência diversas vezes. Basta imaginar a diferença entre acordar para ir trabalhar no dia seguinte em que os recursos do seu projeto foram cortados e ir trabalhar sabendo que irá bater a meta anual de vendas da empresa.

Essa mesma lógica se aplica a cada um dos funcionários da empresa. De acordo com o professor norte-americano Patrick Montana, indivíduos altamente motivados podem resultar em aumentos substanciais na produtividade e na satisfação do trabalho, além de considerável redução do absenteísmo, do atraso, queixas e assim por diante.

Em um TED Talks de 2012 o economista comportamental Dan Ariely relata uma experiência muito interessante a respeito da motivação em uma empresa. Um grupo de 200 engenheiros trabalhou durante dois anos em um grande projeto que demandava muita dedicação e muitas horas extras de trabalho. Quando o projeto estava quase concluído, o CEO da empresa resolveu cancelá-lo e a quantidade de trabalho para cada um deles reduziu drasticamente.

Muitos poderiam pensar que os engenheiros ficaram felizes, pois teriam menos trabalho e ganhariam o mesmo salário. Mas a verdade é que todos eles ficaram muito desmotivados e relataram que passaram a chegar mais tarde e ir embora mais cedo da empresa, sem muita vontade de trabalhar.

Isso mostra que funcionários motivados trabalham melhor e ficam mais satisfeitos com o que estão fazendo, mesmo que isso implique em trabalhar mais. Dar um propósito para o trabalho é uma via de mão dupla: tanto os colaboradores quanto a empresa saem ganhando.

Atitudes que promovem a motivação nas organizações

Depois de compreender a evolução da concepção a respeito da motivação no ambiente corporativo e a importância de manter os colaboradores motivados, você deve estar se perguntando quais práticas pode adotar para manter os funcionários da sua empresa motivados, não é?

Confira 10 técnicas simples e efetivas para promover a motivação dentro de uma organização:

  • Dê propósito para a equipe. Mostre aos seus funcionários que o trabalho que está sendo realizado por eles é realmente importante para a empresa. Em uma organização com muitos funcionários, é comum que os eles sintam-se apenas uma parte insignificante dentro de uma grande máquina, e isso pode ser um fator de desmotivação.
  • Promova aprendizado. Trabalhar na mesma tarefa sem aprender nada de novo durante anos acaba deixando qualquer um desmotivado. Por isso, promova capacitações, cursos ou novas experiências que agreguem conhecimento para os seus empregados.
  • Proponha desafios. Faça pequenos desafios que estimulem interesse no dia a dia. Você pode oferecer um pequeno prêmio para quem conseguir resolver um problema, por exemplo. Isso encoraja os funcionários a criarem novos projetos e não ficarem acomodados.
  • Promova a autorrealização. Ninguém está trabalhando apenas para apertar botões e ficar sentado na mesma cadeira para o resto da vida. Cada funcionário almeja objetivos próprios, tanto pessoais quanto profissionais. Faça com que a sua empresa seja uma aliada na busca desses objetivos.
  • Dê feedbacks positivos. Não dê feedbacks apenas quando encontrar erros nas atividades realizadas. Lembre-se também de valorizar os pequenos acertos do dia a dia de cada colaborador da empresa.
  • Disponibilize os recursos necessários para um bom trabalho. Não há nada mais frustrante do que ter boas ideias e desejar fazer algo útil, mas não possuir recursos para isso. Por isso, procure disponibilizar todas as ferramentas necessárias para que os seus funcionários possam desenvolver o seu trabalho de forma plena.
  • Ofereça assistência. Seja solícito para ajudar sempre que for necessário. Acabe com a ideia de que não saber como realizar uma tarefa é algo negativo. Isso tirará um grande peso das costas dos funcionários, que poderão trabalhar com mais confiança e segurança.
  • Estimule a confiança. Uma equipe onde os membros confiam um no outro e sabem que podem confiar em seus superiores tende a render resultados muito melhores.
  • Proponha metas reais. Metas super ou subestimadas provocam apatia nos colaboradores envolvidos. Portanto, proponha metas desafiadoras mas que estejam dentro da realidade.
  • Conheça seus funcionários. Lembre-se sempre de que cada funcionário é único. Eles possuem seus próprios fatores de motivação e suas próprias histórias de vida. Mostrar que você se importa com cada um deles de forma individual é um grande fator de motivação.

Para explorar mais à fundo este assunto, separamos para você o e-Book “As melhores práticas de RH: contrate, recompense e retenha as melhores pessoas na sua empresa”. Para baixar, basta clicar aqui.

 

Como você vê a motivação dos colaboradores em sua organização? O conteúdo apresentado foi útil para você? Deixe o seu comentário!

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *